Lisaac

Sementes de vida, ������© tempo de semear

«

»

mai 13

SEMANÁRIO DOMINICAL

PAULO DAHER

DOMINGO DA ASCENSÃO DO SENHOR –

*Por Monsenhor Paulo Daher – 

EM ATOS 1,1-11, São Lucas apresenta todo o caminho percorrido por Cristo  e após sua ressurreição até sua ascensão aos céus. Jesus pede que não se afastem de Jerusalém pois seriam batizados pelo Espírito Santo para serem as testemunhas em Jerusalém e por toda a terra. Então subiu aos céus. Uma nuvem os envolveu e dois anjos disseram aos apóstolos: ”Jesus que subiu aos céus virá do mesmo modo como partiu.”

Início do livro Atos dos Apóstolos em que São Lucas narra os primeiros anos da Igreja de Cristo, a partir da despedida de Cristo subindo aos céus e seguida pela descida do Espírito Santo.

Quase sempre Jesus durante os três anos com os apóstolos comenta o presente e depois fala do futuro numa forma para eles um pouco misteriosa. 

Neste dia ao se despedir, resume em  poucas palavras o que irá acontecer.

Em parte Deus é imprevisível para nós, mas tudo é claro diante de sua vontade que sempre nos conduz para onde podemos realizar melhor nossa vida.

Nem sempre compreendemos os caminhos do Senhor. Nossa fé deve iluminar de tal modo nossa vida que, digamos, mesmo às escuras e sem horizonte, possamos confiar naquele que conduz com firmeza, sabedoria e misericórdia nossa vida.

A História de nossa Igreja mostra bastantes momentos em que os que estavam dentro das situações nem imaginariam a forma como Deus resolveu o intrincado jogo dos problemas. E quase sempre digamos, a solução vem de onde jamais esperávamos...

Cada um de nós também já esteve envolvido numa trama tal da vida que jamais encontraria o caminho em que Deus nos colocou resolvendo o impossível da melhor maneira.

A fé nos diz que estamos em boas mãos divina e amorosas que se preocupa conosco e nos conduz sempre por bons caminhos como nos diz o salmo.

NA CARTA AOS EFÉSIOS, 1, 17-23, o apóstolo pede que Cristo, na glória dê sabedoria a esses cristãos, e com sua luz fortaleça a esperança de cada um. Deus manifestou seu poder pela ressurreição de Cristo e quando o fez Senhor a quem tudo deve submeter-se com sua igreja.

Aqui o apóstolo apresenta a força divina da outra virtude baluarte de nossa fé que a leva à conclusão de confiarmos muito no Senhor: a esperança.

A fé nos aponta os caminhos certos, a esperança ajuda-nos a caminhar seguros. Como diz a Palavra de Deus: eu sei em quem confiei. (2 Tm 1,12)

Ao dizer que a esperança é uma virtude teologal, entendemos que seu sentido total e sua força está em Deus.

Esta qualidade humana para nós traz segurança sobre o que precisamos realizar, pois embora possamos organizar o que queremos, nós não dominamos o futuro. Pois este não depende só de nós e precisa dar-nos uma relativa certeza. Do contrário estaríamos sempre em dúvida: será que vamos conseguir, será que vai dar certo.

A esperança religiosa é uma força espiritual que pela certeza que temos da presença e ação de Deus em nossa vida, confiamos ao seguir o que o Senhor pede de nós, que conseguiremos realizar o que for da vontade de Deus.

Portanto não é confiança que dispense nossa colaboração.

Como tudo que recebemos de Deus para realizar nossa vida, não são qualidades que pensando nelas ou desejando que elas realizem sua finalidade sem nossa participação, conseguiremos o que precisamos. Em tudo temos a nossa parte.

Espero com firme confiança que pelos merecimentos de Jesus Cristo eu possa realizar sua vontade empenhando-me a atender ao que o Senhor me pede e que me é necessário.

EM MARCOS 16, 15-20, Jesus se despede dos apóstolos e diz: “vão pelo mundo inteiro e anunciem o evangelho a todos. Quem crer e for batizado será salvo, quem não, será condenado. Vocês farão sinais prodigiosos.” Depois Jesus se elevou aos céus. E os discípulos saíram e foram pregar por toda a parte. O Senhor os     acompanhava e confirmava suas palavras por meio de sinais.

Marcos termina aqui seu evangelho mais breve que os outros. E é importante ver Jesus assinalar o presente e o futuro e garantir sua presença e ação em tudo o que os apóstolos fizerem em nome de Jesus, e depois como vimos no inicio da Igreja e em toda a sua história.

Jesus terminou a primeira parte de sua missão aqui na terra, visivelmente com sua vida humano divina. Mas continuará presente a ser a Cabeça de sua Igreja: Eu estarei com vocês todos os dias...

No inicio com prodígios e sinais também milagrosos que todos sentirão. Mas sempre também com sinais e prodígios invisíveis mas certos no íntimo de cada pessoa.

E São Marcos embora não mostre em seu escrito o que aconteceu depois da ida de Cristo aos céus, nós o temos e sabemos por meio de São Lucas como foi o início do trabalho dos apóstolos como Igreja de Cristo.

Nós hoje também ouvimos este recado de Jesus e não devemos só lembrar aquele dia de despedida. Para nós, este dia é sempre o hoje para todos os tempos, porque Jesus continua a realizar por sua Igreja a salvação que lhe custou sangue e vida.

A nós Jesus também diz: Vão e levem a todos a mensagem de salvação por meio da Palavra de Deus, dos sacramentos e da vida de oração, da caridade da comunidade cristã que é nossa Igreja em todos os lugares da terra.

________________________________________________________

*Monsenhor Paulo Daher é Vigário Geral da Diocese de Petrópolis, e colabora enviando gentilmente seus comentários aos textos litúrgicos da semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Apoio: