Lisaac

Sementes de vida, ������© tempo de semear

«

»

dez 03

SEMANÁRIO DOMINICAL

PAULO DAHER

1º DOMINGO DO ADVENTO – ETERNO É O TEU NOME –

 *Por Monsenhor Paulo Daher –

EM ISAÍAS 63,16b-17.19b; 64, 2b-7, diz o profeta: tu és nosso pai, nosso redentor. Eterno é teu nome. Andamos longe de teus caminhos. Nunca se ouviu dizer que um deus exceto Tu, tenha feito tanto pelos que em ti esperam. Tu te irritaste porque pecamos, escondeste tua face e nos entregaste nas mãos de nossas maldades. Assim mesmo, Senhor, Tu és nosso Pai, nós somos barro, tu nosso oleiro, e nós todos, obra de tuas mãos.

O profeta coloca a imagem e a realidade de quem é Deus em si e para nós. Tudo de acordo com a própria manifestação divina em suas aparições ou quando envia seus anjos.

Podemos buscar a Deus no íntimo de nosso coração, ou lendo o que a Palavra de Deus fala sobre Ele. E de modo especial quando antes de Cristo lembra sua promessa de enviar o Salvador para a humanidade que se desviara d'Ele. Quanto a esta última colocação o profeta aqui fala de redentor, que é o mesmo que salvador.

Salvador é aquele que vem em socorro para ajudar-nos. Em que?

Primeiro que reconheçamos nossas faltas e nos arrependamos delas.

Segundo para nos dizer que o coração de Deus está sempre aberto para nos receber como filhos mesmo que nos tenhamos afastado dele como o filho da parábola de Jesus (Lc 15, 20)

A figura do oleiro que do barro faz um objeto, uma figura, o profeta lembra nossa condição de quando o Senhor criou o primeiro homem (Gn 2, 7), do barro: fez a figura de um homem e dirigiu-lhe um sopro de vida.

Diferente de tudo que criamos hoje, que não tem nenhuma ligação conosco, a não ser por botões eletrônicos ou energia, nós estamos intimamente ligados com Deus, numa união especial e maravilhosa que é o amor de um Pai para com seus filhos. Mesmo que com nossa vontade tentemos desligar-nos dele. Não há como, porque esta união é de e por um amor eterno que jamais pode ser afastado ou deixado de lado.

Não podemos fugir do amor que Deus tem para conosco. Esta é nossa esperança ou pode ser nossa desgraça. Até no inferno, o sofrimento dos que lá se encontram é ter Deus tão perto, conhecê-lo como ele é, seu amor infinito, e não poder estar com ele, porque se afastaram definitivamente dele com sua vontade.

Como barro nas mãos do Oleiro divino oro com fé: Senhor faze de mim o que quiseres. Basta que me ames. Tuas mãos divinas realizem em mim tua obra.

NA 1ª. CARTA AOS CORÍNTIOS 1, 3-9, o apóstolo agradece a Deus porque os cristãos de Corinto foram enriquecidos pela Palavra e pela aceitação de Cristo. Com os dons recebidos, que perseverem fiéis na comunhão com Cristo.

Estamos com o advento nos preparando para comemorar o Natal, o nascimento de Cristo nosso salvador.

Jesus veio para estar com todas as pessoas do mundo inteiro de sua época e até o fim dos tempos. Ele está presente em nossa terra. Mas ainda muita gente nem sabe disso. Alguns jamais ouviram falar de Jesus. Outros andaram por uns tempos com Ele.

Depois encontraram outros que lhes prometiam mais felicidade. E outros como nós que o conhecemos, andamos com Ele, mas também nos cansamos, dormimos, fie 22, 46)

Todos que pela primeira vez ouvem falar d'Ele e procuram segui-lo, cada ano renovam sua fé ao comemorar o aniversário de seu nascimento.

Sempre admirei a fé dos santos reis que de lugares diferentes se dirigiram a Belém para acolher o Salvador, trazendo-lhe presentes. (Mt 2, 1-2)

Que aventura! Que fé! Vimos sua estrela, sua luz e viemos!

Deus nos envia muitas vezes sua luz do céu. As vezes nem a vemos e se a vemos nada nos diz. Temos outras estrelas brilhando no céu de nossa vida nos convidando para... o que?

São Paulo se alegra com a resposta dos coríntios. Ele viviam numa cidade envolvida por muitos deuses e muitos prazeres, talvez nem olhassem para o céu, a terra lhes bastava com seus atrativos iguais aos do rei Herodes quando nasceu Jesus.

Dizem que a terra vista de longe, das alturas distantes do céu é de cor azulada... Quem enxerga da terra o céu vê esta mesma cor, que corresponde de fato a um estado de vida espiritual ligado a Deus como dizem muitos salmos. De perto qual é a cor de nossa terra dos homens? Terá a cor de nossa vida.

Procuremos olhar mais para os céus e trazer esta cor celeste para

nossa terra, nossa cidade, nossa família, nosso coração: queremos ver Jesus .

EM MARCOS 13. 33-27, Jesus pede que estejam atentos para quando chegar o momento. Como um homem que viajou e deixou a responsabilidade com seus empregados. Vigiem porque vocês não sabem quando vai chegar o dono da casa.

De novo a atitude de vigilância, de atenção, de cuidado, de procura.

Estamos sempre de pé. Não podemos nem sentar nem dormir quando algo importante está para acontecer.

Sinal de responsabilidade é viver bem cada momento, sem pressa e sem lentidão. Avaliando as forças que temos para ir sempre na direção do objetivo que traçamos para realizar nossa vida. Tendo organizado nossa vida, vamos agindo passo a passo.

O passado organizado em geral ajuda-nos a seguir para frente. O presente aceitando os desafios de cada dia, pode correr tranquilo mesmo que estejamos muito ocupados com o que temos a fazer.

E lembrando o que já passou, verificando a caminhada que demos, podemos olhar para a frente, para o futuro com confiança, sem temor, preparando o amadurecimento de nossa vida. Vale a pena pensar nessa observação do evangelista s. Lucas (2,5ls) quando diz de Jesus aos doze anos,quando voltava de Jerusalém com seus pais: ele desceu com eles para Nazaré. Era-lhes submisso... Jesus progredia em sabedoria e em estatura e em graça, diante de Deus e dos homens.

O Filho de Deus que se fez homem, isto é, assumiu nossa humanidade, antes de mostrar toda a misericórdia do Pai para conosco com sua morte na cruz, quis passar por todos os momentos da vida de um ser humano desde sua concepção até a morte.

Em sua casa em Nazaré com Maria e José, participando da vida comum das pessoas e mostrando sua religiosidade aos sábados na sinagoga de Nazaré. Tudo ia sendo encaminhado para o gesto final de perdão e amor na cruz encaminhando sua vitória pela ressurreição.

Jesus educado por Maria e José ia crescendo como uma criança comum, adolescente, jovem e adulto e cada dia progredia, (esta palavra é sugestiva mesmo: em graus, no tempo: um, depois o outro!) em sabedoria, no conhecimento das coisas e pessoas, nas etapas normais de crescimento do ser humano. Em graça na convivência com o Pai. Ele dirá depois: Eu e o Pai somos um.(Jo 10,30) Então a vida preciosa que Deus nos deu deve também progredir como a do Cristo: crescer em estatura, em sabedoria, em graça: no amor a Deus e aos outros.

___________________________________________________
*Monsenhor Paulo Daher é Sacerdote da Diocese de Petrópolis, e colabora enviando gentilmente seus comentários aos textos litúrgicos da semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Apoio: