Lisaac

Sementes de vida, ������© tempo de semear

«

»

jun 18

COM SABEDORIA, INVISTA PESADO, PARA LUCRAR O MÁXIMO

INVESTIMENTO ESPIRITUAL

INVESTIMENTO ESPIRITUAL: LUCRO ASSEGURADO –

*Por Luiz Antonio de Moura –

Imagine, prezado leitor(a), alguém que pretenda fazer investimentos que possam assegurar, de forma simultânea, dois resultados: bom retorno e longevidade na progressão dos negócios. No primeiro caso, e como investidor(a), esse alguém pretende assegurar o maior ganho possível, a fim de continuar no processo e, crescendo cada vez mais, acabar dominando o cenário formado pelos gigantes do mercado. No segundo caso, é necessário assegurar que os resultados obtidos sejam sólidos e duradouros, se possível, alcançando e ultrapassando as futuras gerações da família. Para arrematar o prodigioso negócio, há que ser encontrado um meio hábil (legal ou não, isso tem pouca ou nenhuma importância, pelo menos no Brasil) para fugir do Fisco. Este é o mundo imaginado e desejado por grande parte dos mortais que se sentem atraídos pelo mundo dos negócios. Opps! Uma palavra macabra foi digitada: “mortais”. Esta palavra é por demais aflitiva para o nosso megainvestidor, que consegue tudo, na exata medida em que prosperam seus investimentos sem, no entanto, conseguir eternizar-se, superando a própria morte!

A partir desta dura realidade, o multimilionário (ou multi-fraudador, como conhecemos por aqui) dá início ao que denomina como “justa batalha”, cuja finalidade é assegurar o patrimônio para os filhos, os netos, os bisnetos e, se possível, para todas as gerações que vierem sucedê-lo. Por mais “justa” que esta batalha possa ser ou parecer, ela é cruel com o nosso visionário do mercado, porque traz para a sua alma a dor crescente e perturbadora de ver o tempo passando, a idade chegando, a morte se aproximando e trazendo com ela a iminência de ser obrigado a abandonar todo aquele império amealhado com sabedoria, astúcia, esperteza, ou, como também conhecemos, com canalhice nos patamares mais elevados. Pobre mortal! Ainda não se deu conta de que o pior ainda está por vir: sua alma será encaminhada para o Verdadeiro Tribunal de Justiça, onde ela desconhece seus julgadores, não poderá contar com a atuação de advogados, caros, baratos ou dativos e, quiçá, ouvirá depoimentos terríveis de testemunhas que, ao longo da prosperidade terrena, foram vitimadas de todas as formas possíveis pela atuação direta ou por ordem daquela que, agora, e embasbacada, está ali para ser julgada por quem não ignora as provas nem manda retirá-las do processo e que, com a Sabedoria que Lhe é peculiar, não depende de delatores.

Nosso leitor(a) poderá, neste momento, estar sentido um pouco de pena daquela alma. Mas, não se esqueça de que tudo isso se passa longe dos nossos olhos e dos olhos dos herdeiros daquele megainvestidor, pessoa inteligente, competente, altamente qualificada pelos MBA’s da vida, mas que, agora, está prestes a perceber e a receber os verdadeiros rendimentos gerados pelos investimentos que decidiu fazer em vida. Portanto, não soframos pelo que não estamos vendo. Antes do túmulo, tudo pode ser mudado. Além-túmulo, só a Misericórdia divina pode mudar o enredo da história de cada um de nós.

Mas, devemos ter medo de fazer investimentos? Não, não devemos. Precisamos, porém, fazê-los de forma inteligente. De modo a assegurar rendimentos e eternização dos resultados, para nós e para os nossos descendentes diretos e indiretos. Como assim? Que investimentos são estes? São os investimentos espirituais que, no entanto, possuem algumas peculiaridades: são universais, rendem muito, os resultados são colhidos em abundância nesta e na outra vida, não são tributados, porque não interessam ao Fisco e, no final, fazem de nós exemplos duradouramente citados por diversas gerações, que acabam se espelhando no nosso modo de enriquecer, tornando-se ainda mais ricas do que nós fomos um dia.

Mas, como ocorre no mundo dos negócios humanos, para investir é preciso ter algum capital. No mundo mercantilizado em que vivemos, e que conhecemos muito bem, para investir é preciso possuir dinheiro, ouro, bens imóveis e outros que possam ser rapidamente convertidos em grana viva. O investimento espiritual, embora renda infinitamente mais do que o investimento mercadológico, exige pouca coisa: apenas um pouco de misericórdia e mais um pouco de compaixão.

Com um pouco de misericórdia e um pouquinho de compaixão a pessoa começa o investimento que vai crescendo a cada dia. É um super-megainvestimento, porque, cada vez que a pessoa aplica um pouco de misericórdia e de compaixão, ela começa a lucrar imediatamente, recebendo paz, tranquilidade e conforto espirituais, felicidade em ver o outro feliz e, o grande bônus da gratidão! Esse bônus tem a capacidade de elevar ao infinito a potência de todos os demais ganhos porque, quando recebemos a gratidão, sentimo-nos insuperáveis na felicidade, na paz, na tranquilidade e na consciência de que estamos fazendo o investimento certo. E, melhor de tudo, caso não recebamos este bônus ainda em vida (porque existem pessoas ingratas), seremos agraciados com ele, de forma elevadíssima, quando estivermos sentados no mesmo Tribunal de Justiça no qual a nossa conhecida alma “astuta” e “esperta” nos negócios deste mundo sentou-se em algum momento. Lá, para nós, o resultado deverá ser bastante diferente: santos e anjos estarão ao nosso lado, Maria e os Apóstolos peticionarão em nosso favor e veremos filas enormes de testemunhas querendo ser ouvidas para relatarem o quanto fomos compassivos e misericordiosos para com elas, enquanto peregrinavam por este mundo.

Se você, prezado leitor(a), sofreu ou sentiu piedade da alma que, em vida, atuou de forma estupenda nos mercados financeiros do mundo, amealhando somas assustadoras em dinheiro e acumulando bens móveis e imóveis para si e para os seus herdeiros sem, no entanto, poder desfrutar eternamente dos rendimentos auferidos e, ainda, sujeitando-se à justeza e à dureza do Tribunal Eterno, sem ninguém para falar em seu favor, agora, pode regozijar-se com o nosso investidor espiritual que, saindo deste mundo plenamente realizado, deixando jazidas intocáveis de rendimentos auferidos na aplicação da misericórdia e da compaixão, encontra-se diante da possibilidade real de desfrutar, eternamente, dos frutos e rendimentos de tudo o que investiu enquanto vivente na terra. E mais: se você, prezado(a) leitor(a) quiser amealhar riqueza inesgotável e que, após a primeira aplicação, nunca mais deixará de render e cujos frutos e rendimentos você poderá levar para além do túmulo, então, ouça este conselho sábio: peça a Deus um pouquinho de misericórdia + um pouquinho de compaixão e faça seus primeiros movimentos numa bolsa que te trará tanta riqueza que será impossível dimensionar os limites.

Agora, se você acredita, como muitos e muitos, que este tipo de investimento é coisa de louco ou de fanático, e que investir em dinheiro, ouro, pedras preciosas e todo tipo de bens, móveis e imóveis, é que pode trazer recompensa e felicidade, então, faça a sua aposta. Apenas, cuidado para depois, no Tribunal da Justiça Eterna, não se arrepender ao ver gente simples e humilde, sem estudo, sem cargo e sem importância alguma, carregando fardos e mais fardos do ouro eterno, dado por Aquele a quem pertence toda a riqueza, toda a honra e toda a glória. Fique ligado, e pare de arriscar sua fortuna pessoal. Depois, você poderá não ter direito ao bônus mais valioso: a vida eterna! Boa sorte, e seja feliz!

__________________________________________________
*Luiz Antonio de Moura é um caminhante, um pensador e um cultor do silêncio.

1 comentário

  1. Una

    Vou imediatamente arrebatar seu feed rss como eu não pode encontrar seu email assinatura link ou boletim serviço.
    Fazer tens qualquer? Por favor permitem me sabe a fim de que eu pode se inscrever.
    Obrigado. http://assuntoslucrativos.com/curso-minerador-de-ouro/

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Apoio: