Lisaac

Sementes de vida, ������© tempo de semear

Arquivo por mês: fevereiro 2017

fev 28

EVANGELHO: A CHAVE PARA A SALVAÇÃO

BÍBLIA - A PALAVRA DE DEUS

8ª SEMANA DO TEMPO COMUM – TERÇA-FEIRA – 28/02/2017 –

Evangelho  (Mc 10,28-31)

 — O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

—  PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo segundo  Marcos

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 28começou Pedro a dizer a Jesus: “Eis que nós deixamos tudo e te seguimos”. 29Respondeu Jesus: “Em verdade vos digo, quem tiver deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos, campos, por causa de mim e do Evangelho, 30receberá cem vezes mais agora, durante esta vida — casa, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições — e, no mundo futuro, a vida eterna. 31Muitos que agora são os primeiros serão os últimos. E muitos que agora são os últimos serão os primeiros”.

–  Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

 

FONTE http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/  

fev 28

LITURGIA DA PALAVRA: CAMINHO DE LUZ E DE ESPERANÇA

liturgia-eucaristica

LEITURA SUGERIDA PARA HOJE – 8ª SEMANA DO TEMPO COMUM – TERÇA-FEIRA – 28/02/2017 –

LEITURA DO LIVRO DO ECLESIÁSTICO – (Eclo 35,1-15) –

1Aquele que guarda a lei faz muitas oferendas; 2aquele que cumpre os preceitos oferece um sacrifício salutar(3). 4Aquele que mostra agradecimento, oferece flor de farinha, e o que pratica a beneficência oferece um sacrifício de louvor.

5O que agrada ao Senhor é afastar-se do mal, e o que o aplaca é deixar a injustiça. 6Não te apresentes na presença de Deus de mãos vazias, 7porque tudo isso se faz em virtude do preceito. 8O sacrifício do justo enriquece o altar, o seu perfume sobe ao Altíssimo. 9A oblação do justo é aceitável, e sua memória não cairá no esquecimento.

10Honra ao Senhor com coração generoso e não regateies as primícias que apresentares. 11Faze todas as tuas oferendas com semblante sereno, e com alegria consagra o teu dízimo. 12Dá a Deus segundo a doação que ele te fez, e com generosidade, conforme as tuas posses; 13porque ele é um Deus retribuidor, e te recompensará sete vezes mais. 14Não tentes corrompê-lo com presentes: ele não os aceita; 15nem confies em sacrifício injusto, porque o Senhor é um juiz que não faz discriminação de pessoas.

- Palavra do Senhor

- Graças a Deus.

  FONTE: http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/

fev 27

EVANGELHO: A CHAVE PARA A SALVAÇÃO

BÍBLIA - A PALAVRA DE DEUS

8ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SEGUNDA-FEIRA – 27/02/2017 –

Evangelho  (Mc 10,17-27)

 — O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

—  PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo segundo  Marcos

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 17quando Jesus saiu a caminhar, veio alguém correndo, ajoelhou-se diante dele, e perguntou: “Bom Mestre, que devo fazer para ganhar a vida eterna?”

18Jesus disse: “Por que me chamas de bom? Só Deus é bom, e mais ninguém. 19Tu conheces os mandamentos: não matarás; não cometerás adultério; não roubarás; não levantarás falso testemunho; não prejudicarás ninguém; honra teu pai e tua mãe!”

20Ele respondeu: “Mestre, tudo isso tenho observado desde a minha juventude”. 21Jesus olhou para ele com amor, e disse: “Só uma coisa te falta: vai, vende tudo o que tens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois vem e segue-me!”

22Mas quando ele ouviu isso, ficou abatido e foi embora cheio de tristeza, porque era muito rico. 23Jesus então olhou ao redor e disse aos discípulos: “Como é difícil para os ricos entrar no Reino de Deus!”

24Os discípulos se admiravam com estas palavras, mas ele disse de novo: “Meus filhos, como é difícil entrar no Reino de Deus! 25É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus!”

26Eles ficaram muito espantados ao ouvirem isso, e perguntavam uns aos outros: “Então, quem pode ser salvo?” 27Jesus olhou para eles e disse: “Para os homens isso é impossível, mas não para Deus. Para Deus tudo é possível”.

–  Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

  FONTE http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/  

fev 27

LITURGIA DA PALAVRA: CAMINHO DE LUZ E DE ESPERANÇA

liturgia-eucaristica

LEITURA SUGERIDA PARA HOJE – 8ª SEMANA DO TEMPO COMUM – SEGUNDA-FEIRA – 27/02/2017 –

LEITURA DO LIVRO DO ECLESIÁSTICO – (Eclo 17,20-28) –

20Aos arrependidos Deus concede o caminho de regresso, e conforta aqueles que perderam a esperança, e lhes dá a alegria da verdade. 21Volta ao Senhor e deixa os teus pecados, 22suplica em sua presença e diminui as tuas ofensas. 23Volta ao Altíssimo, desvia-te da injustiça e detesta firmemente a iniquidade.

24Conhece a justiça e os juízos de Deus e permanece constante no estado em que ele te colocou, e na oração ao Deus altíssimo. 25Anda na companhia do povo santo, com aqueles que vivem e proclamam a glória de Deus. 26Não te demores no erro dos ímpios, louva a Deus antes da morte; o morto, como quem não existe, já não louva. 27Louva a Deus enquanto vives; glorifica-o enquanto tens vida e saúde, louva a Deus e glorifica-o nas suas misericórdias. 28Quão grande é a misericórdia do Senhor, e o seu perdão para com todos aqueles que a ele se convertem!

- Palavra do Senhor

- Graças a Deus.

  FONTE: http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/

fev 26

EDITORIAL DA SEMANA: UM TEMA DA ATUALIDADE

OPINIÃO

DIAS CARNAVAL, DIAS DE FUGA –

*Por Luiz Antonio de Moura –

            Chegamos a mais um carnaval! Muita festa, muita alegria, muita música e, enfim, muito de tudo que faz a vida parecer um estágio de felicidade permanente, sem os assombros dos problemas, das dores, dos dissabores, das angústias, das surpresas negativas, dos roubos, das corrupções, das injustiças e de tudo o que, realmente, traz infelicidade para milhões de brasileiros.

            Mas, existe o carnaval! Este momento mágico que, no curso de alguns dias, apaga tudo o que é feio e pinta um quadro generoso e cobiçado. De sexta-feira de uma semana até o domingo da outra semana, para falar a verdade, o samba é o senhor absoluto de todas as razões.

            No entanto, nem tudo está envolto no esquecimento: jovens, pelo país afora, estão reclusos rezando, cantando louvores a Deus, fazendo novas amizades e assumindo compromissos com a ética, com a moral, com os bons costumes e com as boas práticas. Jovens que seguem as mais diversas denominações religiosas. Jovens que, acima de tudo, acreditam que existe algo de mais valioso do que a folia amnésica que invade o país levando multidões para os braços de uma alegria cara e desproporcional à realidade de suas vidas.

            Além disso, homens e mulheres, pais e mães, chefes de família, também estão reclusos em oração pelo mundo, pelo Brasil, pelas famílias e pela solução de todo um manancial de problemas que tanto têm afligido a nossa sociedade e que, passados os dias mágicos do esquecimento e da fuga, certamente, retornarão com a mesma força de sempre.

            Muitos outros cidadãos e cidadãs, ainda que contra a vontade, estão trabalhando normalmente, para tentarem manter o bem estar de uma maioria comprometida com a fuga dos problemas e da dura realidade do dia-a-dia.

            Não se deve condenar as festas populares. Ao contrário, devemos incentivá-las e, na medida do possível, delas participar com vigor, alegria e satisfação. Deus que ver o seu povo feliz e festivo. O que devemos condenar é o silêncio da mídia que, nestes dias, se cala diante da fome, do desemprego, da carestia de alimentos, passagens e remédios, da corrupção, dos roubos, dos homicídios, dos políticos fanfarrões que estão esbanjando o dinheiro do povo, diante do povo, sem que ninguém os fotografe, filme ou grave, como se nestes dias, existisse uma espécie de alforria para tudo o que está acontecendo de mal na sociedade.

            O que devemos condenar com veemência é o incentivo dado por prefeitos e governadores aos promotores do samba, sob a falsa alegação de atrair e de alegrar os turistas, como se turista pagasse os salários atrasados dos servidores públicos que, desde o ano passado vivem em penúria nunca, jamais, vista em nossas terras. Passados os dias de alegria virtual, vem a tristeza real: falta dinheiro para o policiamento, falta dinheiro para a saúde pública, falta dinheiro para pagar as aposentadorias. Surgem aumentos de passagens de ônibus, metrôs e barcas, aumentos nas tarifas de luz, água, esgoto e telefone, sem que ninguém, absolutamente ninguém, fale em incentivo ao pobre, ao trabalhador, ao doente, ao estudante e ao indigente.

            O carnaval seria muito mais bem-vindo se viesse, todos os anos, para celebrar as vitórias do povo, com a sua promoção a uma vida mais digna, com remédios e alimentos mais baratos, atendimento médico de qualidade e imediato, ensino fundamental, médio e superior de melhor qualidade, formando verdadeiros cidadãos para o país e para o mundo. Aí sim, deveríamos saudar o carnaval como a festa das festas e não, como temos vivido neste país, quando o carnaval nada mais é do que um período de fuga, no qual os sofredores fogem da sua realidade, os fanfarrões, ladrões, corruptos e irresponsáveis fogem dos holofotes e a mídia foge da sua responsabilidade de dar continuidade ao noticiário diário, onde são divulgadas notícias apavorantes, tanto no Brasil, quanto no próprio mundo. Neste dias, parece que o mundo acabou e que só restamos nós, povo feliz e que, como ninguém, sabe colocar seus blocos na rua!

            Entretanto, o povo tem a palavra final. E, se o povo está se sentindo feliz, quem pode contradizê-lo? Boa sorte, e seja feliz!

________________________________________

*Luiz Antonio de Moura administra o site www.lisaac.blog.br

fev 26

O REINO DE DEUS E A SUA JUSTIÇA

LUDOVICO GARMUS

8º DOMINGO DO TEMPO COMUM – NÃO SE PODE SERVIR A DOIS SENHORES –

*Por Frei Ludovico Garmus, ofm –

Oração: “Fazei, ó Deus, que os acontecimentos deste mundo decorram na paz que desejais, e vossa Igreja vos possa servir, alegre e tranquila”.

1. LEITURA: Is 49,14-15

Eu não te esquecerei.

Os judeus exilados em Babilônia estavam tomados pelo desânimo e pela falta de fé. Os deuses dos babilônios pareciam mais fortes que o Deus de Israel. Pensavam que Deus os tinha esquecido, pois a situação no exílio estava difícil e sem perspectivas de futuro. Por isso o profeta coloca na boca dos exilados, simbolizados por Sião / Jerusalém, esta lamentação: “O Senhor me abandonou, meu Deus me esqueceu!” O profeta responde, trazendo a imagem de Deus como mãe (cf. Os 11), que jamais esquece os filhos que gerou. Por isso, anuncia que Deus vai agir, vai levar os seus filhos de volta à Terra Prometida. Isaías focaliza o sujeito do amor, que é Deus, e quer despertar uma confiança filial neste amor divino maternal.

SALMO RESPONSORIAL: Sl 61

Só em Deus a minha alma tem repouso,

só ele é meu rochedo e salvação.

2. SEGUNDA LEITURA: 1Cor 4,1-5

O senhor manifestará os projetos do coração.

Domingo passado (2ª leitura) Paulo alertava os cristãos de Corinto sobre as divisões na comunidade por causa do apego a este ou aquele pregador, colocando em perigo até a própria fé em Jesus Cristo. Na leitura de hoje lembra que nenhum dos apóstolos, incluindo Paulo, Apolo e Cefas, é dono da comunidade. Ao contrário, todos são “servidores de Cristo e administradores dos mistérios de Deus”. Como administradores, devem ser fiéis à missão que Cristo lhes confiou. Paulo não se importa em ser julgado pelos seus opositores, pois tem a consciência tranquila de ter pregado com toda a fidelidade o evangelho da cruz e ressurreição do Senhor. Aguarda a próxima vinda do Senhor, por quem todos serão julgados.

ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO: Hb 4,12

A palavra do Senhor é viva e eficaz:

ela julga os pensamentos e as intenções do coração.

3. EVANGELHO: Mt 6,24-34

Não vos preocupeis com o dia de amanhã.

No evangelho de hoje Jesus se dirige a seus discípulos e a nós também. Em nossa vida todos somos colocados diante de uma opção fundamental: servir a Deus ou às riquezas. O próprio Jesus, com toda a clareza, fez a opção pelo Reino de Deus. Ao diabo que lhe oferecia todas as riquezas do mundo com a condição que o adorasse, Jesus responde: “Adorarás o Senhor eu Deus e só a ele servirás” (Mt 4,10). Do cristão se espera que opte pelo Reino de Deus e sua justiça. Alguns pensam que a frase “não podeis servir a Deus e ao dinheiro” (v. 24) se dirige mais aos ricos da comunidade cristã, exigindo deles uma opção mais clara pelo Reino de Deus e sua justiça (v. 33). Jesus, porém, prega o Reino de Deus e sua justiça também aos pobres (v. 25-32). Também eles podem ser tentados a colocar o dinheiro como objetivo primeiro de suas vidas. Na luta pela sobrevivência, podem ser tentados a colocar Deus e sua justiça em segundo lugar. Colocar o Reino de Deus em primeiro lugar não dispensa, porém, nosso trabalho para ganhar o sustento próprio e o das pessoas que de nós dependem. Não se trata de uma confiança cega na providência divina. Jesus propõe a todos, ricos ou pobres, uma vida sábia, isto é, sóbria; pede que percebam a bondade de Deus para com as aves do céu e as flores do campo. Deus providencia o alimento para as aves do céu e veste de beleza as flores do campo, por menores e mais frágeis que sejam. Quanto mais cuidará de seus filhos. Não podemos perder o foco central em nossa vida cristã. Este foco deve ser a mensagem de Jesus e o modelo de vida que nos legou: O Reino de Deus e a sua justiça. Pelo batismo nós já fizemos esta opção pelo Reino de deus e sua justiça. O reino de Deus é de fato o centro de minha vida? Procuro ser fiel a esta escolha fundamental?

_________________________________________________
*Frei Ludovico Garmus é Doutor em Exegese Bíblica, Professor de Exegese no Instituto Teológico Franciscano-ITF, em Petrópolis, escritor, conferencista e colabora com o nosso Blog, autorizando a reprodução de textos e de reflexões de sua autoria.

fev 26

BUSCAI EM PRIMEIRO LUGAR O REINO DE DEUS E A SUA JUSTIÇA

PAULO DAHER

8º DOMINGO COMUM  - 26.02.2017 –

 *Por Monsenhor Paulo Daher - 

EM ISAÍAS, 49, 14-15, o profeta apresenta a queixa de alguém angustiado: “o Senhor abandonou-me, esqueceu-se de mim.” E Deus:” como u´a mãe não abandona seu filhinho, muito menos Eu.”

            Este profeta é de grande sensibilidade humana e religiosa. Os detalhes que usa quando se refere às qualidades ou feitos do futuro Messias merecem muita atenção e respeito. Faz-nos pensar muito. Parece até que descrições e afirmações dão a impressão de estar vendo já diante de si a figura do Messias e toda sua vida: realizações, milagres e sofrimentos.

            O autor sagrado faz observação sobre a situação de quem segue mais o que deseja, sem se orientar sobre o que é de fato melhor para si, e deixa de atender o que o Senhor pede para nós. E como resultado, porque se afasta de Deus, depois diz que se sente abandonado por Deus.

Parecemos eternas crianças que desobedecem seus pais, afastam-se de sua presença e depois se queixam de eles não o ajudarem.

            Cada manhã ao acordarmos parece que estamos começando o 1º. Dia da Criação. Assim a luz do início do dia abre a cortina do tempo como um convite para a vida. Nós nos encantamos com todas as surpresas que vão aparecendo. Parece que nos encaminhamos para uma longa viagem.

Gostamos de quem gosta de nós. Começamos a agradar para manter esses laços que nos trazem alegria. Mas depois de um tempo começamos a exigir sempre mais atenção. E aí amizade vai se tornando um peso, uma obrigação.

            O mesmo fazemos com Deus. E como Ele é generoso às vezes dá a impressão de que não se importa com nosso afastamento.

Lembrei-me do profeta Jonas da Bíblia. Deus mandou-o para uma missão. Ele pegou um navio e fugiu para outro lugar. Surgiu uma tempestade. E ele lançado ao mar foi engolido por um peixe sendo vomitado na praia  e depois seguiu para sua missão.   

            Quem se esconde ou foge de Deus está mais perto dele do que pensa. Igual a Adão e Eva no paraíso após o pecado e seu filho Caim.

Alguns também são levados a pensar em Deus quando veem um padre ou uma religiosa, mesmo que não procurem falar com eles. 

NA 1ª CARTA AOS CORÍNTIOS, 4, 1-5, o apóstolo afirma que os seguidores de Cristo sejam servidores de todos. Ele embora se esforce muito para ser fiel a Cristo, não se considera  o melhor.. Apoia-se no julgamento do Senhor.

Jesus quando começou seu trabalho nos últimos três anos de sua vida, percorria as estradas, as montanhas, da Galileia, da Samaria e da Judeia. Era seguido por uma multidão de gente. Mas logo de início escolheu alguns para acompanha-lo mais de perto e sempre.

            Seu poder era divino, mas sempre como na vida comum dos seres humanos, cada pessoa espera contar com a participação de outras. Assim quis Jesus. Na vida normal das pessoas: todos precisamos sempre conviver com outras pessoas e assim nos ajudamos mutuamente.

            Numa família a mãe ou o pai podem fazer muita coisa sozinhos e melhor. Se não contam com a participação de seus filhos, estes se tornarão pessoas sem iniciativas, sem decisões. Um pai ou uma mãe podem fazer algo perfeito 80% sozinhos e em menos tempo. Já com os filhos pequenos ou adolescentes o tempo vai ser maior e talvez não saia tão perfeito o trabalho. Mas com isso estão ensinando os filhos a crescerem e manifestarem sua personalidade na participação.

            O trabalho ou a participação de várias pessoas muitas vezes tem efeito mais rico por aprenderem a conviver com os outros e a aceitar participação de outros mesmo de maneira diferente.

            Além da participação de várias pessoas para realizarem algo em comum, alguns aprenderão o que não sabiam, outros experimentarão trabalhar com pessoas diferentes e às vezes até antipáticas, e ainda alguns vão ter paciência para acompanhar o ritmo do outro. E se pudermos acrescentar mais uma: seria aceitar o fracasso de todos juntos quando não conseguiram o que pretendiam.

            Neste último caso aprende-se a humildade para aceitar o resultado.

            No esporte o time que vence não se torna vencedor só com os que conseguiram mais pontos. A perda como a vitória é de todos porque unidos buscaram realizar o melhor de si. 

EM  MATEUS, 6, 24-34,  vocês não podem servir a dois senhores: a Deus e ao dinheiro. Não se preocupem com a comida, nem com a roupa. A vida vale mais. Olhem como vivem os pássaros. O Pai dos céus é que os alimenta. E vocês valem mais que eles. Busquem antes o reino de Deus e todo o mais lhes será dado. Basta a cada dia sua preocupação.

            Muita coisa em nossa vida é condição “material” para nossa sobrevivência, mas pode e  deve ser controlada. Nossas capacidades favorecem o desenvolvimento de nossa pessoa e muitas vezes de nossos bens temporais e passageiros. Mas tudo tem sua graduação, e exigências diferentes.

            Como já refletimos: tudo em a natureza, principalmente dos seres vivos, quando segue o caminho normal consegue atingir sua finalidade. Qualquer desvio  afasta os efeitos desejados.

O dinheiro ou os bens materiais fruto de  trabalho honesto ajudam-nos a manter nossa alimentação, nossa saúde, nossa moradia, o próprio trabalho, enfim uma vida digna.

            Tanto bens em falta como em demasia descontrolam nosso viver.

            Quando os bens materiais tomam conta de nossa vida ou são razão de nosso viver, eles nos perturbam: apegamo-nos a eles como se fossem razão de nossa vida. Tudo vai girando em torno do dinheiro, do valor material das coisas. Por causa deles muitas vezes ferimos os outros.

            Se nossa felicidade consistir em bens materiais, ela mostra sua fragilidade porque podemos perde-los em pouco tempo, podem ser roubados, pois atraem outros ambiciosos. Seremos capazes de fazer os outros sofrerem para não perder o que temos. Escravizamos os que nos ajudam a manter nossos bens.

            A orientação para utilizar melhor os bens materiais, seja para conseguir o que nos é necessário, é obtê-los por trabalho honesto e sempre confiar em Deus, seja para ter os bens de que precisamos seja para que os utilizemos da melhor maneira possível. E para de modo especial ajudar os que passam necessidade ou precisam de ajuda.

___________________________________________
*Monsenhor Paulo Daher é Sacerdote da  Diocese de Petrópolis, e colabora enviando gentilmente seus comentários aos textos litúrgicos da semana.
 

fev 26

EVANGELHO: A CHAVE PARA A SALVAÇÃO

BÍBLIA DE DOMINGO

8º DOMINGO DO TEMPO COMUM – 26/02/2017 –

Evangelho  (Mt 6,24-34)

 — O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

—  PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo segundo  Mateus

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 24“Ninguém pode servir a dois senhores; pois, ou odiará um e amará o outro, ou será fiel a um e desprezará o outro. Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro.

25Por isso eu vos digo: não vos preocupeis com a vossa vida, com o que havereis de comer ou beber; nem com o vosso corpo, com o que havereis de vestir. Afinal, a vida não vale mais do que o alimento, e o corpo, mais do que a roupa?

26Olhai os pássaros dos céus: eles não semeiam, não colhem nem ajuntam em armazéns. No entanto, vosso Pai que está nos céus os alimenta. Vós não valeis mais do que os pássaros? 27Quem de vós pode prolongar a duração da própria vida, só pelo fato de se preocupar com isso?

28E por que ficais preocupados com a roupa? Olhai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham nem fiam. 29Porém, eu vos digo: nem o rei Salomão, em toda a sua glória, jamais se vestiu como um deles. 30Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é queimada no forno, não fará ele muito mais por vós, gente de pouca fé?

31Portanto, não vos preocupeis, dizendo: ‘O que vamos comer? O que vamos beber? Como vamos nos vestir? 32Os pagãos é que procuram essas coisas. Vosso Pai, que está nos céus, sabe que precisais de tudo isso.

33Pelo contrário, buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão dadas por acréscimo.

34Portanto, não vos preocupeis com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã terá suas preocupações! Para cada dia bastam seus próprios problemas”.

–  Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

  FONTE http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/  

fev 26

NÃO VOS PREOCUPEIS COM DIA DE AMANHÃ!

ZÉ MARIA-2

VIII DOMINGO DO TEMPO COMUM – VIVER O PRESENTE!

 *Por Monsenhor José Maria Pereira –

 A Palavra de Deus em Is 49, 14-15 tem a expressão mais profunda e eloquente da ternura maternal de Deus e de seu amor ao povo eleito e ao homem. A mãe não ama seu filho porque ele é bom, mas porque é seu filho.

Deus é comparado a uma MÃE CARINHOSA, que não se esquece de seu filhinho: “Poderá uma mãe esquecer-se de seu filhinho, e não amar o fruto do seu ventre”?

Mesmo se houvesse alguma mulher capaz de esquecê-lo, Eu não te esqueceria jamais” (Is 49, 14-15).

No Evangelho (Mt 6, 24-34) Jesus ensina as pessoas a buscarem o essencial, o que realmente conta.

O Senhor dá-nos este conselho: “Não vos preocupeis com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã terá suas preocupações! Para cada dia bastam seus próprios problemas” (Mt 6, 34). “E porque ficais preocupados com a roupa?” (Mt 6, 28). Jesus não diz que não nos ocupemos das coisas que se referem ao alimento e ao vestuário, mas que não nos preocupemos com desassossego e perturbação dessas coisas. É como se dissesse: “Não vos preocupeis excessivamente com os bens materiais, ainda que necessários à vida; não estais sobre a terra para aqui viverdes imersos em pensamentos de coisas materiais, sois filhos de Deus, bem superiores às flores do campo e às aves do céu. Deus pensará em vós, mais do que pensa nas outras criaturas e vos dará o necessário.”

“Tudo mais vos será dado por acréscimo”, segundo comenta Santo Agostinho: “não como um bem no qual devais fixar a vossa atenção, mas como um meio pelo qual possais chegar ao sumo e verdadeiro bem.”

Trata-se de uma atitude de fé viva na Providência divina e de confiança filial no Pai Celeste, que conduz à paz e serenidade de espírito.

“Para cada dia bastam seus próprios problemas.”

O ontem já passou; o amanhã não sabemos se chegará para cada um de nós, pois a ninguém foi entregue o seu porvir. Do dia de ontem, só ficaram muitos motivos de ação de graças pelos inúmeros benefícios e ajudas de Deus, bem como daqueles que convivem conosco. Com certeza pudemos aumentar, nem que fosse um pouco, o nosso tesouro no Céu. Podemos dizer do dia de ontem, com palavras do salmista: “O Senhor tornou-se o meu apoio, libertou-me da angústia e salvou-me porque me ama.” (Sl 17, 19-20).

O amanhã “ainda não é”, e, se chegar, será o dia mais belo que jamais pudemos sonhar, porque foi preparado pelo nosso Pai-Deus para que nos santifiquemos: “Vós sois o meu Deus, os meus dias estão nas vossas mãos” (Sl 31, 16). Não há razões objetivas para andarmos angustiados e preocupados pelo dia de amanhã: teremos as graças necessárias para enfrentá-lo e sair vitoriosos.

O que importa é o hoje. É o que temos para amar e para nos santificarmos, através de inúmeros pequenos acontecimentos que constituem a trama de um dia.

Aqui e agora é que eu tenho que amar a Deus com todo o meu coração… e com obras.

Boa parte da santidade e da eficácia consiste certamente em vivermos cada dia como se fosse o único da nossa vida. Dias para serem cumulados de amor de Deus e terminados com as mãos cheias de boas obras. O dia de hoje não se repetirá nunca, e o Senhor, espera que o impregnemos de Amor e de pequenos serviços aos nossos irmãos. As aflições procedem, pois, quase sempre, de não vivermos com intensidade o momento atual e de termos pouca fé na Previdência. Por isso desapareceriam se disséssemos sinceramente ao Senhor: “quero o que queres, quero porque o queres, quero como o que queres, quero enquanto o quiseres” (Oração de Clemente XI). Vêm então a alegria e a paz.

“Não podeis servir a Deus e ao dinheiro” (Mt 6, 24). “Os bens da terra, diz São Josemaria Escrivá, não são maus; pervertem-se, quando o homem os torna como ídolos e se prostra diante deles; mas tornam-se nobres, quando os converte em instrumentos para alcançar o bem, numa missão de justiça e de caridade. Não podemos correr atrás dos bens econômicos como quem procura um tesouro; o nosso tesouro é Cristo e nEle se há de concentrar todo o nosso amor, porque onde está o nosso tesouro, aí está também o nosso coração (Mt 6, 21)” (Cristo que passa, nº 35).

O fim último do homem é Deus. Por este fim o homem deve entregar todo o seu  ser. De fato, porém, há quem não ponha em Deus o seu fim último, mas nas riquezas. Neste caso, as riquezas convertem-se no seu deus. O homem não pode dividir-se entre dois fins absolutos e contrários.

Deixemos de ser servos do dinheiro e escravos de nós mesmos, para servir no Senhor com alegria e livres da angústia possessiva.

Neste texto do Evangelho Jesus põe em relevo o valor das realidades correntes da vida. Ao mesmo tempo ensina – nos a por a nossa confiança na providência paternal de Deus.

Aproveitemos bem o dia que estamos vivendo! Todos os dias da nossa vida estão presididos por Deus que tanto nos quer. E só temos capacidade para viver o presente!

______________________________________
*Mons. José Maria Pereira, Sacerdote da Diocese de Petrópolis, é, também, Professor e Reitor do Seminário Diocesano Nossa Senhora do Amor Divino, colaborando com este Blog enviando, semanalmente, a homilia do domingo e, quinzenalmente, a de quarta-feira.
 

fev 26

LITURGIA DA PALAVRA: CAMINHO DE LUZ E DE ESPERANÇA

LITURGIA DE HOJE - 2

LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE – 8º DOMINGO DO TEMPO COMUM – 26/02/2017 –

PRIMEIRA LEITURA

LEITURA DO LIVRO DO PROFETA ISAÍAS – (Is 49,14-15) –

14Disse Sião: “O Senhor abandonou-me, o Senhor esqueceu-se de mim!” 15Acaso pode a mulher esquecer-se do filho pequeno, a ponto de não ter pena do fruto de seu ventre? Se ela se esquecer, eu, porém, não me esquecerei de ti.

- Palavra do Senhor

- Graças a Deus.

SALMO RESPONSORIAL

— Só em Deus a minha alma tem repouso,/ só ele é meu rochedo e salvação.

— Só em Deus a minha alma tem repouso,/ só ele é meu rochedo e salvação.

SEGUNDA LEITURA

LEITURA DA PRIMEIRA CARTA DE SÃO PAULO AOS CORÍNTIOS (1Cor 4,1-5)

Irmãos: 1Que todo o mundo nos considere como servidores de Cristo e administradores dos mistérios de Deus. 2A este respeito, o que se exige dos administradores é que sejam fiéis. 3Quanto a mim, pouco me importa ser julgado por vós ou por algum tribunal humano. Nem eu me julgo a mim mesmo. 4É verdade que minha consciência não me acusa de nada. Mas não é por isso que eu posso ser considerado justo. 5Quem me julga é o Senhor. Portanto, não queirais julgar antes do tempo. Aguardai que o Senhor venha. Ele iluminará o que estiver escondido nas trevas e manifestará os projetos dos corações. Então, cada um receberá de Deus o louvor que tiver merecido.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

  FONTE: http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/

Posts mais antigos «

Apoio: