Lisaac

Sementes de vida, ������© tempo de semear

Arquivo por mês: outubro 2016

out 31

ORAÇÃO SEMANAL

oracao-a-sao-bento

ORAÇÃO DE SÃO BENTO

A cruz sagrada seja a minha luz. Não seja o dragão o meu guia. Retira-te satanás. Nunca me aconselhes coisas vãs. É mau o que tu me ofereces. Bebe tu mesmo o teu veneno. Em nome de Jesus Cristo.

Amém.

out 31

EVANGELHO: O SENHOR TEM UMA PALAVRA PARA VOCÊ

bíblia-6

31ª SEMANA COMUM – SEGUNDA-FEIRA – 31/10/2016 –

 Evangelho  (Lc 14,12-14)

 — O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

—  PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo segundo  Lucas

— Glória a vós, Senhor.

 Naquele tempo, 12dizia Jesus ao chefe dos fariseus que o tinha convidado: “Quando deres um almoço ou um jantar, não convides teus amigos nem teus irmãos nem teus parentes nem teus vizinhos ricos. Pois estes poderiam também convidar-te e isto já seria a tua recompensa. 13Pelo contrário, quando deres uma festa, convida os pobres, os aleijados, os coxos, os cegos. 14Então serás feliz! Porque eles não te podem retribuir. Tu receberás a recompensa na ressurreição dos justos”.

–  Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

  FONTE http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/

out 31

LITURGIA DA PALAVRA: UMA LUZ PARA A VIDA

LITURGIA DE HOJE - 2

LEITURA SUGERIDA PARA HOJE – 31ª SEMANA COMUM – SEGUNDA-FEIRA – 31/10/2016 –

LEITURA DA CARTA DE SÃO PAULO AOS FILIPENSES – (Fl  2,1-4) –

Irmãos, 1se existe consolação na vida em Cristo, se existe alento no mútuo amor, se existe comunhão no Espírito, se existe ternura e compaixão, 2tornai então completa a minha alegria: aspirai à mesma coisa, unidos no mesmo amor; vivei em harmonia, procurando a unidade. 3Nada façais por competição ou vanglória, mas, com humildade, cada um julgue que o outro é mais importante, 4e não cuide somente do que é seu, mas também do que é do outro.

- Palavra do Senhor

- Graças a Deus.

  FONTE: http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/

out 30

O IMPORTANTE É O DIÁLOGO

dois-loucos

CONVERSA DE DOIS LOUCOS

 *(Frei José Ariovaldo da Silva, OFM - 14.10.2016)

É verdade.

Não é.

 

É, sim.     

Não.

 

Verdade, sim.

Não apareceu no jornal.

 

Verdade.

Nem na televisão.

 

Verdade.

Nem na internet.

 

Verdade.

Nem nas redes sociais.

 

E, então?

Não é verdade.

 

O que é, pois?

Me diga você.

 

Apenas você.

Mas não sou celebridade.

 

Perdemos de vista.

O que?

 

A verdade.

Como assim?

 

Por trás do nosso ego.

Ego?

 

Suas manhas e mentiras.

Sinto-me estranho.

 

É verdade.

Como que à deriva.

 

Dependente.

Dono de nada.

 

É verdade.

Entendi.

______________________________________________________
*Frei José Ariovaldo da Silva é frade franciscano (OFM); doutor em Liturgia pelo Pontifício Instituto Litúrgico de Roma; professor do Instituto Teológico Franciscano (Petrópolis, RJ); membro da equipe de reflexão da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da CNBB; membro do Centro de Liturgia “Dom Clemente Isnard”, ligado ao Instituto Pio XI (UNISAL – São Paulo); foi membro da Comissão para Acabamento da Basílica de Aparecida; assessor de Liturgia, conferencista, escritor.
 

out 30

HOJE, QUERO ALMOÇAR EM TUA CASA!

PAULO DAHER

31º. DOMINGO DO TEMPO COMUM – 30.10.2016  – 

*Por Monsenhor Paulo Daher – 

No livro da Sabedoria, 11, 22-12.2, o sábio afirma: Senhor, o mundo inteiro diante de ti é como um grão de areia na balança, uma gota de orvalho da manhã que cai  na terra. E até por isso tens compaixão dos pecados das pessoas. Porque amas tudo e todos que fizeste. Todos e tudo dependem de ti. E a todos tratas com bondade.

            A medida das coisas, das pessoas, de fatos, em geral segue hábitos e culturas de cada lugar. E são as expressões usadas que qualificam o que vemos, o que escolhemos, o que conseguimos.

            Em geral a medida mais comum, simples e popular é ser grande ou pequeno, ser pesado ou ser leve, ser visível ou invisível.

           Assim, para compreender melhor quem sejam as pessoas de quem ouvimos falar, ou quem ficamos imaginar quem seja, seja e mais ainda quem é Deus a quem não vemos, procuramos comparações para nos aproximar o máximo na compreensão de quem são.

            Para não me alongar, lemos muito sobre Deus na Bíblia, em livros de religião e na experiência dos santos.

            A comparação do livro da Sabedoria para percebemos o poder e a grandeza de Deus é olhar um grão de areia e uma gota de orvalho e afirmar que tudo o que conhecemos de grande em a natureza: montanhas, mar, raios, rios caudalosos, animais fortes e ferozes, não passam de um grão de areia ou uma gota de orvalho, tão pequenos e insignificantes diante de Deus.

            Os povos primitivos de ontem e de hoje diante das forças da natureza, se curvam com  medo e em adoração ou oferecem dons para aplacar talvez a ira dos seres superiores.

        As pessoas do tempo de Jesus acompanhando-o sentiam seu poder sobre doenças incuráveis ou de forças da natureza como tempestades num mar revolto.

            Mas o autor sagrado depois de enaltecer a grandeza de Deus, afirma que este poder divino não é de um tirano que queira humilhar as pessoas ou dominá-las. É o poder do amor de Pai que parece não querer ver as falhas de seus filhos,  Mas acredita que seu abraço misericordioso tudo transforma e recupera o que estava perdido.

            Precisamos nos convencer e repetir muitas vezes para nós o que a Palavra de Deus afirma de Deus: tens compaixão dos pecados das pessoas. Porque amas tudo e todos que fizeste. Todos e tudo dependem de ti. E a todos tratas com bondade. 

Na 2ª carta aos Tessalonicenses, 1, 11-2.2, o apóstolo escreve: rezo sempre por vocês, para que o Senhor realize todo bem que desejam e ative sua fé. Cristo será exaltado pela vida de vocês.  E peço não deem atenção a quem vive dizendo que o fim deste mundo está próximo.

     S. Paulo estava preocupado com esta comunidade porque muitos diziam que já estava próximo o fim do mundo. Com isso muitos já não faziam mais nada, aguardando que chegasse o fim de tudo.

      Então o apóstolo lhes diz: rezo sempre por vocês. Tinha presente que em tudo e em todos os momentos a oração como Cristo viveu ajuda-nos muito.

       Jesus é mestre de oração. Como orar nos é revelado claramente no Filho de Deus que se fez homem e mora conosco. Procurar compreender sua oração, como suas testemunhas nos anunciam no evangelho, é aproximar-nos do Santo Senhor Jesus como da sarça ardente (de Moisés)(Ex 3,2): primeiro contemplá-lo na oração, depois ouvir como Ele nos ensina a orar, para conhecer como Ele atende nossa prece.       

        Cristo, Filho da Virgem, dela aprende a orar segundo seu coração de homem. Na sinagoga e no Templo aprende nas palavras e ritmos da oração de seu povo. Mas sua oração é filial e brota de uma fonte secreta: Devo estar na casa de meu Pai (Lc 2,49).

         S. Lucas destaca a ação do Espírito Santo e o sentido da oração no ministério de Cristo. Antes de momentos decisivos de sua missão (Batismo, Transfiguração, no Jardim das Oliveiras, na escolha dos Doze etc.) A oração de Cristo antes das ações salvadoras que realiza a pedido do Pai, é uma entrega, humilde e confiante, de sua vontade humana à vontade amorosa do Pai.

            Contemplando seu Mestre a orar, os discípulos pedem: Ensina-nos a orar! (Lc 11,1) Duas orações de ação de graças se destacam: agradecendo a atenção do Pai aos humildes (Mt 11,25), outra antes de ressuscitar Lázaro (Jo 11,41).A oração filial de Cristo ao Pai. intercedendo com poder por todos toma um sentido maior ainda com suas sete Palavras na Cruz.(Catec. da Igr.Cat) 

Em Lucas, 19, 1-10, entrando Jesus em Jericó, o chefe dos cobradores de impostos, Zaqueu, queria ver Jesus. E  porque era pequeno, subiu numa árvore. Chegando onde estava Zaqueu, Jesus lhe disse: “desce depressa, hoje quero almoçar em sua casa.” Os fariseus criticaram Jesus por entrar na casa de um pecador. No fim do dia, depois da refeição Zaqueu disse a Jesus: “vou dar metade de meus bens aos pobres. E a quem enganei na cobrança devolverei quatro vezes mais.” Jesus disse: “hoje a salvação entrou nesta casa. Pois o Filho do Homem veio buscar quem estava perdido.”

            Em sua caminhada  por todo o território da Palestina, Cristo não perde uma oportunidade para fazer o bem às pessoas. Jesus, com seu olhar divino não só via o rosto feliz das pessoas, mas penetrava em seus corações. Foi o que fez e sentiu quando viu aquele homem maduro num galho de árvore. os olhares se cruzaram, a graça divina foi junto.

               Jesus não faz nada à toa. Ele deseja em cada contato com as pessoas fazer o bem a todos. Quando Cristo foi a Jericó, já pensava em Zaqueu. Este não era querido dos habitantes da cidade pois era um cobrador de impostos. Nem podia participar das cerimônias religiosas na sinagoga.   Havia muita gente boa na cidade que gostava de Jesus e ficaria muito contente de recebê-lo em sua casa.        No entanto Cristo escolheu exatamente ir almoçar na casa de Zaqueu. Os fariseus e outros reclamaram.

                  Mas Jesus foi assim mesmo e Zaqueu gostou.

             Só entendemos a escolha de Cristo depois do que aconteceu lá na casa do cobrador de impostos. Jesus deve ter conversado muito com toda a família.  Foi bondoso, atencioso. Mostrou-se interessado em responder às perguntas  de todos. Deu carinho, atenção, valorizou a todos.

              Zaqueu recebeu uma luz grande sobre sua vida.       Reconheceu seus erros. Prometeu corrigi-los todos. Devolveu todo o dinheiro roubado nas cobranças exageradas e iria dar metade do resto aos pobres.

              Jesus concluiu sua visita dizendo:” Hoje a salvação e a felicidade entraram nesta casa”.

                 Não só com Zaqueu, mas em muitos outros casos, Jesus mostra que nunca dá por perdido ninguém. A misericórdia de Deus enxerga sempre lá dentro do coração de qualquer pessoa  um ponto de bondade.

                   É por aí que Deus começa a atrair a pessoa.

                Devemos seguir os mandamentos de Deus direito. Não podemos aceitar como certo as coisas erradas. Mas não devemos maltratar as pessoas que não seguem as leis de Deus. Nem podemos afastá-las por causa disso.

                Com mais razão ainda se são nossos parentes e amigos.

               Vale a pena ter compreensão das pessoas, conquistá-las para que se corrijam de seus erros, ou para facilitar que busquem a verdade e o bem.

               Se nos consideramos irmãos mesmo de qualquer pessoa, vamos tentar ajudá-la para que descubra a bondade de Deus e se volte para Ele.

____________________________________
*Monsenhor Paulo Daher é Sacerdote da  Diocese de Petrópolis, e colabora enviando gentilmente seus comentários aos textos litúrgicos da semana.

out 30

BENDIREI ETERNAMENTE O VOSSO NOME

jesus-e-zaqueu-2

31º Domingo do Tempo Comum - 30/10/2016 - 

*Por Frei Ludovico Garmus, ofm - 

Oração: “Ó Deus de poder e misericórdia, que concedeis a vossos filhos e filhas a graça de vos servir como devem, fazei que corramos livremente ao encontro das vossas promessas”.

1. Primeira leitura: Sb 11,22–12,2

Senhor, de todos tens compaixão, porque amas tudo o que existe.

A primeira leitura nos oferece um belíssimo texto do livro da Sabedoria. Na primeira parte do livro (Sb 1,1–5,23) o autor mostra a importância e a ação da sabedoria na humanidade; na segunda parte (6–9) descreve a origem da Sabedoria e como podemos alcançá-la; e na terceira parte (10–19) mostra como a Sabedoria age na história de Israel. No trecho que acabamos de ouvir o autor nos fala de Deus criador, que ama tudo o que criou, ama a todos os seres vivos, sobretudo, aos seres humanos criados à sua imagem e semelhança. De início destaca a grandeza de Deus. Diante dele o mundo inteiro não passa de um grão de areia ou uma gota de água. O mais espantoso é que nós humanos, com todos os seres vivos do nosso planeta, estamos dentro desta gotinha d’água; e Deus, no seu poder, de todos se compadece. Aos seres humanos Deus perdoa os pecados, esperando que se arrependam e voltem ao seu amor. Contemplando o céu estrelado, o salmista exclama maravilhado: “O que é o homem, para que te lembres dele, e o ser humano para que dele te ocupes” (Sl 8,5)? O sábio vê tudo que existe como fruto do amor e da compaixão divina. Tudo que existe foi Deus que chamou à existência. Por isso jamais haveria de desprezar ou odiar. O que Deus cria com amor, também sustenta com amor. Deus a todos trata com bondade porque é amigo da vida. Deus nos trata com carinho, mesmo quando erramos. Repreende-nos, como um pai corrige o filho, para que nos afastemos do mal e creiamos nele (Evangelho). Deus nos envolve em seu amor. Não só a nós, mas a tudo o que criou e continua criando. É como Paulo disse aos atenienses: “É nele que vivemos, nos movemos e existimos, como alguns de vossos poetas disseram: ‘Porque somos também de sua raça’” (At 17,28).

Salmo responsorial: Sl 144

Bendirei eternamente vosso nome;

para sempre, ó Senhor, o louvarei!

2. Segunda leitura: 2Ts 1,11–2,2

O nome de nosso Senhor Jesus Cristo

será glorificado em vós, e vós nele.

Paulo fundou a comunidade de Tessalônica, cidade ao nordeste da Grécia. É a segunda carta que escreve a essa comunidade muito querida. Pede sempre a Deus que todos permaneçam dignos da vocação cristã. Que Deus, que é poderoso, por meio deles realize o bem ao qual se propõem, tornando ativa a fé. Fazendo o bem, Deus será glorificado no cristão e o cristão em Deus. Tudo se torna possível com a graça divina. Por fim, adverte a todos que não se deixem alarmar por aqueles que, baseando-se numa interpretação errônea do que Paulo escreveu (cf. 2Ts 4,13-18) dizem que o Dia do Senhor, isto é, o fim do mundo, está próximo. O importante é que o Senhor, quando vier, nos encontre vivendo uma fé ativa, na prática do bem.

Aclamação ao Evangelho

Deus o mundo tanto amou, que seu Filho entregou!

Quem no filho crê e confia, nele encontra eterna vida!

3. Evangelho: Lc 19,1-10

O Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido.

Quando o Papa Francisco veio ao Rio de Janeiro quis visitar uma favela. Foi previamente escolhida a favela da Maré e a casa de uma senhora pobre, para o Papa tomar ali um cafezinho. Certamente, muitos que gostariam de hospedar o Papa ficaram com inveja. “Por que não na minha casa?” Com essa visita simbólica o Papa quis nos ensinar a importância da igualdade de direitos e condições de vida de todas as pessoas, sobretudo, das mais pobres, numa sociedade que se diz cristã ou ao menos justa.

Depois da longa viagem iniciada em Lc 9,51, Jesus chega a Jericó, a uns 20 km de Jerusalém. Durante a viagem Jesus esclarece os discípulos sobre sua missão, ensina aos que o seguem por meio de palavras, parábolas, gestos e milagres. Na viagem Jesus encontra-se com pessoas, é acolhido na casa de Marta e Maria, é rejeitado pelos samaritanos, e é convidado para uma refeição na casa de um fariseu. De modo geral, Jesus comia com os discípulos e com o povo que o seguia.

Ao passar por Jericó, Jesus viu um homem numa árvore para conseguir vê-lo, pois era de baixa estatura. Jesus olhou para ele e disse: “Zaqueu, desce depressa! Hoje vou ficar na tua casa”. Zaqueu era um homem rico, cobrador de impostos. Alguns o desprezavam como pecador, outros o odiavam porque se valia da profissão para enriquecer. Por isso todos começaram a julgar tanto a Jesus como a Zaqueu: “Ele foi hospedar-se na casa de um pecador!” Em geral é o pecador que deve se aproximar de Jesus para ser perdoado. Aqui é Jesus que se aproxima do pecador para que se converta e Zaqueu o recebe com alegria. Foi de repente, que Jesus decidiu hospedar-se na casa de um pecador muito conhecido por todos. Jesus se apressa, como o bom pastor que vai depressa à procura da ovelha perdida. Ao ver Zaqueu Jesus diz “desce depressa”, e Zaqueu desce depressa para acolhê-lo em sua casa. Na presença de Jesus Zaqueu percebe a misericórdia de Deus que o perdoa; depressa se converte, assume tornar-se seu discípulo e com alegria diz: “Senhor, eu dou a metade dos meus bens aos pobres [= Evangelho], e se defraudei alguém, vou devolver quatro vezes mais” [= justiça]. Por isso Jesus diz: “Hoje a salvação entrou nesta casa”; e, como o bom pastor que encontra a ovelha perdida, diz: “O Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido”. – Prestando atenção aos personagens (Jesus e Zaqueu, os discípulos e o povo) e ao que eles dizem e fazem, o que nos ensina o Evangelho? No seu agir, de quem você mais se aproxima?

_________________________________________________
*Frei Ludovico Garmus é Doutor em Exegese Bíblica, Professor de Exegese no Instituto Teológico Franciscano-ITF, em Petrópolis, escritor, conferencista e colabora com o nosso Blog, autorizando a reprodução de textos e de reflexões de sua autoria.

out 30

EVANGELHO: O SENHOR QUER FALAR COM VOCÊ!

Closeup of wooden Christian cross on bible

31º DOMINGO COMUM – 30/10/2016 –

 Evangelho  (Lc 19,1-10)

 — O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

—  PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo† segundo  Lucas

— Glória a vós, Senhor.

 Naquele tempo, 1Jesus tinha entrado em Jericó e estava atravessando a cidade. 2Havia ali um homem chamado Zaqueu, que era chefe dos cobradores de impostos e muito rico.

3Zaqueu procurava ver quem era Jesus, mas não conseguia, por causa da multidão, pois era muito baixo.4Então ele correu à frente e subiu numa figueira para ver Jesus, que devia passar por ali. 5Quando Jesus chegou ao lugar, olhou para cima e disse: “Zaqueu, desce depressa! Hoje eu devo ficar na tua casa”.

6Ele desceu depressa, e recebeu Jesus com alegria.

7Ao ver isso, todos começaram a murmurar, dizendo: “Ele foi hospedar-se na casa de um pecador!”

8Zaqueu ficou de pé, e disse ao Senhor: “Senhor, eu dou a metade dos meus bens aos pobres, e se defraudei alguém, vou devolver quatro vezes mais”.

9Jesus lhe disse: “Hoje a salvação entrou nesta casa, porque também este homem é um filho de Abraão.10Com efeito, o Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido”.

–  Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

  FONTE http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/

out 30

HOJE ENTROU A SALVAÇÃO NESTA CASA!

jesus-e-zaqueu

A CONVERSÃO DE ZAQUEU –

 *Por Mons. José Maria Pereira –

      O Evangelho (Lc. 19, 1-10) fala-nos do encontro misericordioso de Jesus com Zaqueu. O Senhor passa por Jericó, a caminho de Jerusalém! Uma multidão apinhava-se nas ruas por onde o Mestre passava e lá no meio da multidão encontrava-se um homem chefe dos publicanos e rico, bem conhecido em Jericó pelo seu cargo.

          Os publicanos eram cobradores de impostos. O imposto era fixado pela autoridade romana e os publicanos cobravam uma sobretaxa, da qual viviam. Isto prestava-se a arbitrariedades, razão pela qual eram facilmente hostilizados pela população.

             São Lucas diz que Zaqueu procurava ver Jesus para conhecê-Lo, mas não podia por causa da multidão, pois era muito baixo. Mas o seu desejo é eficaz! Para conseguir realizar o seu propósito, começa por misturar-se com a multidão e depois, sem pensar no ridículo da sua atitude, correndo adiante subiu a um sicômaro para ver Jesus, que devia passar por ali. Não se importa com o que as pessoas possam pensar ao verem um homem da sua posição começar a correr e depois subir numa árvore. É uma formidável lição para nós que, acima de tudo, queremos ver Jesus e permanecer com Ele.

           Que o Senhor aumente em nós o desejo sincero de vê-Lo! Eu quero realmente ver Jesus? – perguntava o Papa João Paulo II ao comentar esta mensagem do Evangelho –, faço tudo o que posso para poder vê-Lo? Este problema, depois de dois mil anos, é tão atual como naquela altura, quando Jesus atravessava as cidades e povoados da sua terra. E é atual para cada um de nós pessoalmente: quero verdadeiramente contemplá-Lo, ou não será que venho evitando encontrar-me com Ele? Prefiro não vê-Lo ou que Ele não me veja? E se já o vislumbro de algum modo, não será que prefiro vê-Lo de longe, sem me aproximar muito, sem me situar claramente diante dos seus olhos..., para não ter que aceitar toda a verdade que há n’Ele, que provém d’Ele?

     Qualquer esforço que façamos por aproximar-nos de Cristo é amplamente recompensado. Disse Jesus: “Zaqueu desce depressa! Hoje Eu devo ficar na tua casa” (Lc 19, 5). Que alegria imensa! Zaqueu, que já se dava por satisfeito de vê-Lo do alto de uma árvore, ouve Jesus chamá-lo pelo nome, como a um velho amigo, e, e com a mesma confiança, fazer-se convidar para sua casa. Comenta Santo Agostinho: “Aquele que tinha por coisa grande e inefável vê-Lo passar, mereceu imediatamente tê-Lo em casa.” O Mestre, que tinha lido no coração do publicano a sinceridade dos seus desejos, não quis deixar passar a ocasião. Zaqueu descobre que é amado pessoalmente por Aquele que se apresenta como o Messias esperado, sente-se tocado no íntimo do seu espírito e abre o seu coração.

     Zaqueu está agora com o Mestre, e com Ele tem tudo. Mostra com atos a sinceridade da sua nova vida; converte-se em mais um discípulo do Mestre.

     O encontro com Cristo leva-nos a ser generosos com os outros, a compartilhar imediatamente com quem está mais necessitado o muito ou o pouco que temos.

       “Hoje entrou a salvação nesta casa” (Lc 19, 9). É um convite à esperança: se alguma vez o Senhor permite que passemos por dificuldades, se nos sentimos às escuras e perdidos, temos de saber que Jesus, o Bom Pastor, sairá imediatamente em nossa busca. Diz Santo Ambrósio: “O Senhor escolhe um chefe de publicanos: quem poderá desesperar se ele alcançou a graça?” O Senhor nunca se esquece dos seus.

    A figura de Zaqueu deve ajudar-nos a nunca dar ninguém por perdido ou irrecuperável.

        Não duvidemos nunca do Senhor, da sua bondade e do seu amor pelos homens, por muito extremas ou difíceis que sejam as situações em que nos encontremos ou em que se encontrem as pessoas que queremos levar até Jesus. A sua misericórdia é sempre maior do que os nossos pobres raciocínios.

______________________________________
*Mons. José Maria Pereira, Sacerdote da Diocese de Petrópolis, é, também, Professor e Reitor do Seminário Diocesano Nossa Senhora do Amor Divino, colaborando com este Blog enviando, semanalmente, a homilia do domingo e, quinzenalmente, a de quarta-feira.
 

out 30

DOMINGO: LEIA A MENSAGEM DE DEUS PARA HOJE

liturgia-setembro-de-2016

LEITURAS SUGERIDAS PARA HOJE – 31º DOMINGO DO TEMPO COMUM – 30/10/2016 –

PRIMEIRA LEITURA

LEITURA DO LIVRO DA SABEDORIA – (Sb 11,22-12,2) –

 22Senhor, o mundo inteiro, diante de ti, é como um grão de areia na balança, uma gota de orvalho da manhã que cai sobre a terra.

23Entretanto, de todos tens compaixão, porque tudo podes. Fechas os olhos aos pecados dos homens, para que se arrependam.

24Sim, amas tudo o que existe, e não desprezas nada do que fizeste; porque, se odiasses alguma coisa não a terias criado.

25Da mesma forma, como poderia alguma coisa existir, se não a tivesses querido? Ou como poderia ser mantida, se por ti não fosse chamada?

26A todos, porém, tu tratas com bondade, porque tudo é teu, Senhor, amigo da vida.

12,1O teu espírito incorruptível está em todas as coisas! 2É por isso que corriges com carinho os que caem e os repreendes, lembrando-lhes seus pecados, para que se afastem do mal e creiam em ti, Senhor.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.         

SALMO RESPONSORIAL

— Bendirei eternamente vosso nome;/ para sempre, ó Senhor, o louvarei!

— Bendirei eternamente vosso nome;/ para sempre, ó Senhor, o louvarei!

SEGUNDA LEITURA

LEITURA DA SEGUNDA CARTA DE SÃO PAULO AOS TESSALONICENSES  (2Ts 1,11-2,2)

Irmãos: 11Não cessamos de rezar por vós, para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação. Que ele, por seu poder, realize todo o bem que desejais e torne ativa a vossa fé.

12Assim o nome de nosso Senhor Jesus Cristo será glorificado em vós, e vós nele, em virtude da graça do nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo.

2,1No que se refere à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e à nossa união com ele, nós vos pedimos, irmãos:2não deixeis tão facilmente transtornar a vossa cabeça, nem vos alarmeis por causa de alguma revelação, ou carta atribuída a nós, afirmando que o Dia do Senhor está próximo.

- Palavra do Senhor.

- Graças a Deus.

  FONTE http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/

out 29

EVANGELHO: O SENHOR QUER FALAR COM VOCÊ!

Open holy bible with glowing cross in the middle

30ª SEMANA COMUM – SÁBADO – 29/10/2016 –

 Evangelho  (Lc 14,1.7-11)

 — O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

—  PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo† segundo  Lucas

— Glória a vós, Senhor.

 1Aconteceu que, num dia de sábado, Jesus foi comer na casa de um dos chefes dos fariseus. E eles o observavam. 7Jesus notou como os convidados escolhiam os primeiros lugares. Então contou-lhes uma parábola: 8“Quando fores convidado para uma festa de casamento, não ocupes o primeiro lugar. Pode ser que tenha sido convidado alguém mais importante do que tu, 9e o dono da casa, que convidou os dois, venha te dizer: ‘Dá o lugar a ele’. Então ficarás envergonhado e irás ocupar o último lugar. 10Mas, quando fores convidado, vai sentar-te no último lugar. Assim, quando chegar quem te convidou, te dirá: ‘Amigo, vem mais para cima’. E isto vai ser uma honra para ti diante de todos os convidados. 11Porque quem se eleva será humilhado e quem se humilha será elevado”.

–  Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

  FONTE http://liturgia.cancaonova.com/liturgia/

Posts mais antigos «

Apoio: